top of page
Buscar
  • Foto do escritorLara Brandão

Ter depressão não é sinal de fraqueza!

A depressão é um dos transtornos mentais mais prevalentes na atualidade. É considerado pela Organização Mundial da Saúde uma epidemia moderna. Sua alta incidência, nos alerta para a importancia dos cuidados com a saúde mental assim como disseminar informações, para que reconheçam os sinais e possam buscar ajuda adequada.


A depressão não se resume ao sentimento de tristeza ou apatia. É um quadro complexo, que envolve fatores genéticos, psicológicos e ambientais em sua origem, por isso dizemos que tem origem multifatorial. É causa de uma gama de prejuízos, desde os leves até os mais incapacitantes, como afastamento do trabalho, prejuízo nas relações afetivas e elevado risco de morte precoce e suicidio.


De acordo com o Manual Diagnóstico e estatístico de Transtornos Mentais (DSM 5-TR), o Transtorno depressivo Maior é caracterizado por um período de pelo menos duas semanas durante as quais há um humor depressivo ou perda de interesse ou prazer em quase todas as atividades pela maior parte do dia, quase todos os dias. O individuo também pode apresentar, durante o mesmo periodo de pelo menos duas semanas, quatro dos seguintes sintomas adicionais: aumento ou redução do apetite, aumento ou redução do peso; insônia ou hipersonia; agitação ou retardo psicomotor; fadiga ou perda de energia; capacidade diminuída para pensar ou se concentrar ou indecisão e pensamentos recorrentes de morte.


Sofrer de depressão não é um sinal de fraqueza ou uma condição que se possa facilmente reverter tão somente pela propria força de vontade. A pessoa com depressão, na maior parte das vezes, precisa de ajuda para conseguir reagir, enfrentar o problema e ter uma melhora significativa.


Quando uma pessoa vivencia um quadro depressivo, tem uma maior tendência de avaliar as situações de uma forma negativista e pessimista, em geral irrealista. Influenciando emoções desconfortáveis e comportamentos desadaptativos que podem trazer prejuízos e contribuir para a manutenção do problema.


Se você reconhece alguns desses sintomas, não hesite em buscar ajuda. Embora os dados de prevalência sejam alarmantes e mereçam atenção, a depressão, na maior parte dos casos, tem controle e é passível de tratamento e remissão, desde que tratada corretamente.

A terapia cognitivo comportamental destaca-se como tratamento de primeira escolha para a depressão.




1 visualização0 comentário

Comments


  • Instagram
  • Whatsapp
bottom of page